fbpx

Fim do ano chegando e já que não conseguimos ter todas as experiências gastronômicas pelo país em tempos de pandemia, vamos compartilhar de outras formas, preparei esse artigo com as principais comidas típicas por região de Portugal.

É indiscutível que a culinária pode ser considerada uma das riquezas de Portugal, que tem por toda a sua extensão variedade para agradar a todos os paladares.

Adorei esta imagem que a Uniplaces fez das comidas típicas por região e a primeira coisa que eu fiz foi pensar quantas delas eu já experimentei e quais são as minhas preferidas.

Do norte para o sul, vou te contar um pouquinho de cada uma delas:

Papas de Sarrabulho – Região Norte: Minho:

A Base é do prato é o sangue de porco, carne de galinha, carne de porco, salpicão, presunto, chouriço, cominhos, limão, pão ou farinha de milho. São servidas como sopa e a sugestão de vinho para acompanha-la é o verde.

Uma curiosidade é que elas são feitas basicamente no inverno, época da matança dos porcos.

Feijoada à Transmontana – Região Norte – Valpaços/Trás dos Montes:

A base desse prato é o feijão vermelho com a carne de porco e os enchidos. Geralmente é servido com arroz. Tradicionalmente, na região de Valpaços, a receita é feita no domingo que antecede o carnaval, chamado de Domingo Gordo.

Francesinha – Região Norte – Porto:

A base desse prato é a linguiça, salsicha, fiambre, carnes frias, bife de carne de vaca e queijo derretido. No molho utiliza-se tomate, cerveja e piri piri, já o acompanhamento mais comum é batata frita.

Dizem que na receita original não havia o bife de vaca e nem o ovo estrelado. A Francesinha é tão famosa que já foi considerada um dos 10 melhores sanduiches do mundo segundo o Aol Travel.

Ovos Moles – Região Centro – Aveiro:

A base desse doce é o açúcar e os ovos. Geralmente o doce é moldado em formatos de elementos marinhos como peixes, conchas, búzios, ameijoas.

A história por trás da origem é daquelas tipicamente portuguesas, em que o doce foi criado a partir das gemas que seriam desperdiçadas enquanto as claras eram utilizadas para engomar as roupas dos religiosos do Mosteiro de Jesus de Aveiro.

Vou recomendar, fortemente, que em uma visita a cidade de Aveiro, prove essas delícias na Confeitaria Peixinho, a loja é um clássico de tão linda!

Confira sobre um Bate e Volta de Lisboa a Aveiro, nesse post!

Queijo da Serra – Região Centro – Serra da Estrela:

A base do queijo é o leite de Ovelha. Basicamente é um queijo curado de cor branca ou amarelada, semi-mole e amanteigado.

O leite de ovelha utilizado na produção possui denominação de origem controlada, não é atoa que é um dos mais famosos queijos de ovelha do mundo.

Leitão da Bairrada – Região Centro – Bairrada:

A base desse prato é o Leitão. O leitão geralmente sai do leite materno para se transformar nessa iguaria, é fechado com uma pasta de sal e pimenta no seu interior e enfiado no espeto.

É tão famoso que já foi nomeado uma das 7 maravilhas da Gastronomia de Portugal.

Caldeirada de Peixe – Região ?

Aqui nem vamos classificar como uma região específica, porque dizem que a origem do prato foi em alto mar. Ao que tudo indica, como os pescadores ficam longas temporadas navegando eles preparavam as suas refeições a bordo e a caldeirada é uma das receitas.

A base do prato são peixes com batatas, pimentos, vinho e temperos. O peixe para o preparo varia em cada região, assim como o tipo de temperos utilizados, mas a forma de servir geralmente é como um guisado.

Pastel de Belém – Região Lisboa – Belém:

A base desse doce é a gema de ovo, leite, açúcar e uma massa folhada. Ah, essa é uma especialidade da pastelaria portuguesa e nos leva a loucura.

Acredita-se que quem criou essa receita foram as freias do Mosteiro dos Jerônimos e pasmem, com o encerramento do mosteiro em 1834, o padeiro que ficou desempregado, vendeu a receita a um empresário português de origem brasileira Domingos Rafael Alves.

A receita permanece secreta e assim como o nome estão registrados.

Choco Frito – Região Lisboa – Setúbal:

A base desse prato é o Choco, farinha e temperos. Um petisco que como o próprio nome já diz é frito, mas não se engane, dizem que pode ser simples, mas o sabor e consistência ideias são difíceis de serem alcançados.

Migas – Região Alentejo:

A base é de pão, linguiça, toucinho, outras carnes de porco e temperos. Reza a lenda que é um prato de pastores que utilizavam restos de pão duro para fazer a receita. É famoso na península Ibérica e tem várias formas de preparo, até substituindo o pão por batatas.

Dourada Grelhada – Região do Algarve:

A base desse prato é o peixe dourada e temperos. Ao que tudo indica a dourada fresca da costa do Algarve é vendida exclusivamente no continente e é produzida de forma sustentável. A região, que tem influência do mediterrâneo, é propícia para o crescimento natural e de grande qualidade da dourada e o motivo é a temperatura da água.

Se você chegou até aqui, tenho certeza de que ficou com vontade de provar pelo menos um desses pratos típicos portugueses. A meta gastronômica de 2021 é experimentar todos eles!

Tem alguma dúvida ou sugestão pra acrescentar? Deixe seu comentário aqui abaixo e siga a nossa página lá no Facebook e no Instagram!

Até a próxima! 😉

1

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Para usar avatar, cadastre-se com seu email em gravatar.com

Assine nossa newsletter!

Nunca mais perca um post e fique por dentro de todas as novidades do blog.

Atualmente em:

Lisboa - Portugal
siga @tasaver.pt